Sign In
Início do conteúdo
​​​​
​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​Home

Notícias​

​​​ ​

Seguradora Líder-DPVAT alerta para os cuidados na estrada no feriado de Corpus Christi

Publicado em quarta-feira, 30 de maio de 2018

O feriado prolongado de Corpus Christi, que acontecerá no dia 31 de maio até o dia 03 de junho, é um período de descanso e, para muitos, de viagem. Para que estes dias sejam de tranquilidade, a Seguradora Líder-DPVAT, administradora do Seguro DPVAT, apresenta os dados das indenizações pagas no mesmo período do ano passado e faz um alerta pela segurança nas estradas.

Em 2017, onde o feriadão ocorreu nos dias 15 a 18 de junho, foram contabilizados em todo o Brasil 336 ocorrências de mortes, 1.858 acidentes com sequelas permanentes e 505 reembolsos de despesas médicas. Apesar de expressivo, o número teve uma queda de 18% em relação ao mesmo feriado de 2016. A maior incidência dos acidentes ocorreu justamente nos horários mais escolhidos para pegar as estradas: na manhã, entre 9h e 12h59 e no anoitecer, entre 17h e 19h59. Juntos, os períodos concentraram 46% do total de indenizações pagas.

As regiões Nordeste e Sudeste se destacaram com o maior número de ocorrências no feriado de Corpus Christi no ano de 2017: cada região foi responsável por 30% das indenizações.

A principal vítima do trânsito durante os dias de feriado prolongado são os próprios motoristas, respondendo por 63% ou mais das indenizações pagas por acidentes. Quando analisamos o seguimento das motocicletas separadamente, esse percentual torna-se ainda mais preocupante, com os motociclistas correspondendo a 76% das vítimas nas ocorrências. É importante ressaltar que a frota dessa categoria representou 27% da frota nacional de veículos no ano de 2017.

Os jovens de 18 a 34 anos, tradicionalmente as maiores vítimas do trânsito, merecem atenção especial. Somente no feriado de Corpus Christi de 2017, essa faixa etária respondeu pela maior incidência de acidentes de trânsito, somando um total de 50% das ocorrências.

A Seguradora Líder-DPVAT afirma que os números podem aumentar pelo fato do prazo do pedido de indenização ser de até 3 anos.


​​​ ​

​Mais notícias​

​​