Sign In
Início do conteúdo
​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​Sala de Imprensa​​​​​​

Newsletter​​​​​​

Tolerância Zero às Fraudes: Chefe de quadrilha é preso em desdobramento de operação em Sergipe

Publicado em terça-feira, 6 de novembro de 2018

Newsletter - 06/11/2018 - 52ª Edição

As ações proativas de combate às fraudes da Seguradora Líder em Propriá, cidade localizada a 76 km de Aracaju, capital de Sergipe, resultaram na prisão de um advogado que chefiava uma quadrilha responsável por falsificar documentos para pleitear indenizações do Seguro DPVAT. Essa já é a quinta prisão relativa à operação deflagrada no último mês no estado, divulgada em matéria da 50ª edição da Newsletter "Seguradora Líder Informa". Duas das quatro pessoas presas anteriormente faziam parte do grupo que atuava com o advogado.

De acordo com dados da Seguradora Líder, foram identificadas fraudes em 32 pedidos do Seguro DPVAT com a atuação do advogado, sendo 24 por invalidez permanente e 8 por morte. Foi constatada a falsidade dos documentos médico-hospitalares e dos boletins de ocorrência apresentados nos processos. Juntos, os pedidos somam o valor de R$ 405.000 em indenizações pleiteadas.

Atualmente, o estado de Sergipe concentra 7,9% dos 7.319 procedimentos criminais ativos da Seguradora Líder. Até o fechamento de setembro, 58 fraudes haviam sido identificadas em pedidos de indenização do Seguro DPVAT somente no estado, dentre as quais se destacaram as documentais e as falsas declarações de acidentes de trânsito.

Para o Gerente Jurídico Criminal da Seguradora Líder, Jorge Sodré, a nova prisão reforça os esforços da Seguradora Líder em penalizar os fraudadores. "Esta desarticulação completa traduz a atuação da Seguradora Líder no combate às quadrilhas e à indústria de fraudes contra o Seguro DPVAT", destacou.

Atualmente, a Seguradora Líder possui 18 operações de investigação de campo em andamento em oito estados brasileiros. Vale lembrar que, somente nos nove primeiros meses deste ano, as iniciativas proativas da Companhia resultaram em 32 sentenças condenatórias, 51 condenados, 31 cancelamentos, suspensões ou cassações de registros em órgãos de classe e 16 prisões em todo o Brasil.




​Mais artigos​