Ir para conteúdo principal Ir para menu principal Ir para menu do rodapé Ir para menu Categoria Ir para menu Arquivo
Logon

Viver Seguro no Trânsito

Nós estamos fazendo nossa parte. E você?
Início do conteúdo

Arquivos mensais: Junho 2020

Como preencher o Formulário de pedido do Seguro DPVAT?

O Formulário de Pedido do Seguro DPVAT centraliza as principais informações de vítimas e beneficiários e é um documento obrigatório para todas as coberturas do Seguro DPVAT. Para te ajudar, montamos um passo a passo de como preencher esse documento da forma correta e completa, evitando atrasos na análise e liberação dos pagamentos dos pedidos. Curtiu? Então, continue acompanhando!

1- Antes de tudo, acesse o formulário, disponível aqui:

2- Reserve um momento de completa atenção para o preenchimento! O erro de um número ou dado pode impedir a análise do seu processo, gerando pendência. Portanto, já sabe: faça com calma!

3- Mão na massa! Comece assinalando a cobertura que deseja pleitear: morte, invalidez permanente ou DAMS. Em caso de invalidez permanente e DAMS, você pode assinalar as duas opções no mesmo formulário. Depois, reúna todos os documentos e informações e comece o preenchimento:

  • ▶ CPF da vítima;
  • ▶ Nome completo da vítima;
  • ▶ Nome completo do beneficiário;
  • ▶ Profissão;
  • ▶ Informações residenciais que devem ser iguais aos comprovantes apresentados (endereço, número, complemento, bairro, cidade, estado e CEP do beneficiário);
  • ▶ e-mail;
  • ▶ Informações sobre a renda mensal;
  • ▶ Dados bancários: o beneficiário deverá escolher entre conta poupança ou conta corrente e informar banco, agência e conta.

É importante lembrar que, em caso de beneficiários entre 0 e 15 anos e pessoas declaradas incapazes, é preciso preencher os campos 17 a 19, com as informações do representante legal.

4- Agora vamos a algumas particularidades: caso você esteja dando entrada por invalidez permanente e não for apresentar o laudo do Instituto Médico Legal (IML), será necessário o preenchimento do campo 22, Declaração de Ausência de Laudo do IML. Se sua cobertura não for por invalidez permanente, basta deixar o campo em branco.

5- Outro caso específico é a Declaração de Únicos Beneficiários, necessária apenas nas indenizações por morte. Se esse for o caso, certifique-se de preencher todos os campos corretamente;

6- Insira o dia, mês e ano do preenchimento.

7- Caso o beneficiário não seja alfabetizado, será necessária a inclusão da impressão digital ao final do formulário e o CPF. Além disso, é necessário escolher uma pessoa que assinará a rogo, ou seja, a pedido do beneficiário, se comprometendo a dar ciência do teor de todo o documento.

8- Para a parte das assinaturas, tenha muito cuidado, é necessário que a vítima/beneficiário assine conforme o documento de identificação apresentado!

9- Para finalizar o formulário, as testemunhas. Campo obrigatório apenas em casos de indenizações por morte ou aquelas destinadas às vítimas ou beneficiários não alfabetizados.

Agora seu formulário já está completo! Se mesmo com as orientações, surgirem algumas dúvidas, lembre-se que você pode comentar o post ou entrar em contato através da página oficial do nosso Facebook, que iremos atender e prestar os devidos esclarecimentos!



Continuar lendo

Como envio meus documentos pelo App do Seguro DPVAT?

O app Seguro DPVAT é uma das formas para você dar entrada no seu pedido de indenização sem precisar sair de casa. Para te ajudar, montamos um passo a passo de como você deve fazer para enviar seus documentos pela plataforma da forma correta.

Antes de começar, você precisa ter o aplicativo Seguro DPVAT instalado no seu celular e fazer o seu cadastro. O app é grátis e está disponível para Android e iOS.

Loja do Google
Loja da Apple

Vamos lá?

Se você quiser fotografar seus documentos com a câmera do próprio celular, na tela "Documentos do Sinistro", clique no ícone da câmera localizado ao lado de cada documento.

Após clicar, a sua câmera será aberta para que você possa tirar as fotos. É muito importante que o documento esteja apoiado em uma superfície reta para que a foto fique com uma boa qualidade. Confira se é possível ler todas as informações do documento na foto que você tirou antes de enviá-la.

Se você prefere enviar os documentos em pdf, na tela "Documentos do Sinistro", clique no ícone localizado ao lado de cada documento e busque os documentos nos arquivos do seu celular.

Nos dois formatos de envio de documentos, é importante ficar atento aos itens que estão marcados com um asterisco (*) pois eles são obrigatórios.

Pronto! Agora é só clicar em “continuar” para confirmar os seus envios.

Ficou com alguma dúvida? É só comentar aqui que vamos te ajudar.



Continuar lendo

Projeto de Lei prevê flexibilizações das regras do Código de Trânsito

Em junho do ano passado, o Governo Federal apresentou o Projeto de Lei 3.267/2019 com o objetivo de alterar ou flexibilizar algumas regras do Código de Trânsito Brasileiro (CTB). Após um período de ajustes, ele entra na pauta para votação da Câmara dos Deputados nesta terça-feira, dia 16/06, em caráter de urgência. Caso seja aprovado, será encaminhado para o Senado Federal. Neste post do Viver Seguro no Trânsito, falamos um pouco das mudanças e propostas. Fique atento!

Como fica a pontuação na CNH?

De acordo com a legislação atual, o motorista perde o direito de dirigir após ultrapassar os 20 pontos na CNH dentro no período de um ano. O ajuste na proposta do novo projeto de lei mantém um limite maior na pontuação para que a CNH dos condutores seja suspensa: 40 pontos para quem não tiver infração gravíssima, 30 pontos para condutores com uma infração gravíssima e 20 pontos para motoristas que tiverem duas ou mais multas com essa graduação.

Ainda em relação às mudanças que abrangem a CNH, a proposta é que seja estabelecida uma escala: 10 anos para condutores com até 50 anos, 5 anos para motoristas entre 50 e 70 anos e, acima de 70 anos, a CNH teria duração de 3 anos. Para motoristas profissionais, o prazo permaneceria de 5 anos. Além das alterações descritas, o texto propõe a criação do Programa CNH Social, que determina meios de financiamento para obtenção gratuita da CNH por pessoas de baixa renda.

E sobre multas?

Para os motociclistas, a proposta é aumentar as multas de leves para médias para os condutores que utilizarem capacetes sem viseira, sem óculos de proteção, ou com a viseira levantada.

E para os condutores que não cometerem infrações no período de 12 meses, notícias boas! A proposta do projeto de lei é a criação do Registro Nacional Positivo de Condutores, com a finalidade de sortear, entre os condutores habilitados, uma premiação com valor equivalente a 1% dos recursos do Fundo Nacional de Segurança e Educação de Trânsito (Funset).

Em relação a utilização das cadeirinhas para crianças, o projeto ajustado prevê a obrigatoriedade para crianças de até 10 anos ou de até 1,45m. O descumprimento da regra por parte dos condutores acarreta infração gravíssima e não apenas advertência, como previa o texto original do projeto.

Outras mudanças

O projeto de lei também tem outras propostas como:

- O bloqueio do licenciamento de veículos com recall aberto e não atendido em prazo superior a um ano, com inclusão de restrição no CRVL (Certificado de Registro e Licenciamento do Veículo)

- Para os motoristas que cometeram alguma infração, o texto aumenta o prazo para indicação do condutor infrator para apresentação de defesa prévia, que subiria dos atuais 15 dias para 30 dias.

- Para motoristas das categorias C, D e E, os exames toxicológicos foram mantidos e seguem com obrigatoriedade na renovação a cada dois anos e meio.

- Para as crianças, o projeto de lei prevê a criação de institutos de educação sobre trânsito no âmbito dos órgãos e entidades executivos dos municípios e dos Estados.

O que você acha dessas mudanças? Comente aqui embaixo e fique ligado nos posts do blog Viver Seguro no Trânsito!


Continuar lendo

Trânsito brasileiro é uma faixa sem lei

O Maio Amarelo, mês dedicado a segurança viária, terminou no dia 31. Várias ações aconteceram em todo o país com o intuito de conscientizar as pessoas de que não podemos mais aceitar 40 mil mortos por ano e pelo menos 230 mil pessoas com invalidez permanente, conforme revelam as indenizações pagas pelo Seguro DPVAT em 2019.

Naturalmente, iniciativas como Maio Amarelo, com viés educativo, são muito importantes mas é preciso entender que os fatos demonstram que a educação apenas uma parte diante da realidade que enfrentamos. No domingo de encerramento do Maio Amarelo, a morte de dois jovens motociclistas, um de 17 anos e outro de 22, deixou claro que precisamos muito mais do que educar. Ambos se chocaram num trecho conhecido como "Faixa sem Lei", na pequena cidade de Camaquã, no Rio Grande do Sul, onde rachas acontecem regularmente mesmo com a pandemia. O jovem de 17 anos, não possuía, sequer, habilitação. A colisão entre os motociclistas fez com que dois rapazes, com tanto pela frente, trocassem seu futuro pelo enterro emocionado dos familiares e amigos.

Ao ler os comentários nas mídias sociais da cidade, ficou evidente que muitas pessoas já haviam pedido providências e, nem mesmo as várias matérias veiculadas em diferentes veículos de comunicação e de repercussão nacional, fez com que medidas fossem tomadas para inibir esse comportamento ou punir os envolvidos. O resultado, além da dramática perda de vidas, são apenas declarações de condolências aos familiares de inúmeras pessoas nas redes sociais, inclusive de jovens que participavam desses rachas e frequentam a "Faixa sem Lei". E é exatamente nisso que está se tornando o trânsito brasileiro. A impunidade tem consequências e que as lágrimas não trazem as vidas de volta, elas são fruto da dor.

É preciso punir com máximo rigor quem pratica, estimula, divulga e colabora de qualquer forma para tais práticas. Por isso, é preciso que em cada casa, cidade, estado, todos os brasileiros exijam o fim da impunidade no trânsito. É preferível ter um filho multado a um filho morto.


Continuar lendo

Contran libera vistoria de identificação veicular


Durante o período de quarentena, o Conselho Nacional de Trânsito (Contran) tem divulgado uma série de medidas para colaborar para a segurança da população durante o período de isolamento social, como já comentamos aqui no blog Viver Seguro no Trânsito. No último dia 20, mais uma importante deliberação foi publicada. Quer saber mais? A gente explica! Se liga no post abaixo:

Os crescentes casos de coronavírus em todo o país mostram que as ações para diminuir o contato entre as pessoas são necessárias. Como forma de contribuir com essas medidas, o Contran divulgou a Deliberação nº 190, que autoriza a realização de vistoria de identificação veicular fora das instalações dos órgãos executivos de trânsito credenciados.

A portaria publicada esclarece que as vistorias deverão acontecer em locais definidos pelo orgão executivo de trânsito de cada estado, cabendo aos mesmos a segurança, identificação e rastreabilidade do processo. O objetivo da medida é garantir que todos que precisem vender seus veículos ou comprem novos nas concessionárias consigam fazer suas vistorias e mantenham os veículos dentro dos padrões.

Para conferir a Deliberação 189/20 na íntegra, clique aqui.


Continuar lendo

Página 1 de 1