Ir para conteúdo principal Ir para menu principal Ir para menu do rodapé Ir para menu Categoria Ir para menu Arquivo
Logon

Viver Seguro no Trânsito

Nós estamos fazendo nossa parte. E você?
Início do conteúdo

Arquivos mensais: Agosto 2020

Qual o futuro do carsharing depois da Covid-19?

A mobilidade urbana já era tema em muitas mesas de debate, antes mesmo do mundo enfrentar a pandemia do coronavírus. Serviços como compartilhamento de veículos, que antes eram incentivados para diminuição de veículos e aperfeiçoamento da mobilidade, agora passam a ser vistos com ressalvas no mundo pós-pandemia.

Faça uma reflexão: você dirigiria um carro utilizado por um desconhecido? De acordo com levantamento produzido pela empresa Deloitte, na Bélgica, a desinfecção dos carros será uma das maiores preocupações, tanto de usuários quanto das empresas que fornecem o serviço. Volantes, bancos, maçanetas, manopla de câmbio, tudo isso deverá ser desinfetado e descontaminado de vírus e microrganismos para que clientes sintam-se mais confiantes com esse tipo de serviço.

Aqui pelo Brasil, sabemos que esse tipo de atividade ainda não é muito utilizado, porém, com esse cenário, fica ainda mais difícil saber quando será popularizado. A beepbeep é uma das poucas empresas que ainda operam, mas apenas nas cidades de São Paulo e São José dos Campos.

Qual sua opinião sobre o tema? Teria coragem de utilizar esse tipo de serviço ou ainda não se sente pronto? Conta sua opinião pra gente nos comentários!


Continuar lendo

Como dar entrada no Seguro DPVAT sem sair de casa

Na última semana, os Correios entraram em greve, e se você quer dar entrada no Seguro DPVAT e ficou pensando quais são as alternativas, te contamos aqui nesse post! Você não precisa sair de casa para enviar o seu pedido ou documentos complementares, caso o seu processo tenha alguma pendência. Fique ligado!

Na palma da mão

Você tem aí, na palma da sua mão, um dos pontos de atendimento do Seguro DPVAT. O aplicativo do benefício está disponível para download, gratuitamente, na Google Play e Apple Store. É possível fazer a solicitação para as três coberturas – invalidez permanente, morte e reembolso de despesas médicas (DAMS) – e enviar a documentação, fotografando diretamente pela câmera do celular ou enviando o documento em PDF.

Se você prefere falar com alguém para entender melhor todo o procedimento, é só entrar em contato com a nossa Central de Atendimento. O atendimento está disponível, exclusivamente para as vítimas de acidentes de trânsito e seus beneficiários, de segunda a sexta-feira, das 8h às 20h, exceto feriados nacionasis, por meio dos telefones 4020-1596, para capitais e Regiões Metropolitanas, e 0800 022 12 04, para outras regiões.

E como envio documentos pendentes?

Para enviar documentos complementares do seu pedido, não é preciso retornar a agência dos Correios, se você tiver dado entrada por lá. O Seguro DPVAT conta com um recurso online para envio diretamente pelo site www.seguradoralider.com.br ou pelo https://documentospendentes.seguradoralider.com.br/. Para usar o recurso, o beneficiário deverá ter em mãos o número do sinistro e o CPF, além de todos os documentos pendentes para envio de uma só vez.

Gostou da dica de hoje? Lembre-se, se você tiver qualquer dúvida sobre como acessar o Seguro DPVAT, entre em contato com a gente pelos comentários!

Continuar lendo

Equipamentos de segurança e sua importância para prevenção de acidentes

No último post do Blog Viver Seguro no Trânsito falamos um pouco sobre o calendário de temas sobre prevenção e educação liberado pelo Conselho Nacional de Trânsito (Contran). Em agosto, um dos equipamentos mais eficazes para garantir a segurança de motoristas e passageiros em caso de acidentes de trânsito, é o destaque. Ponto para quem apostou no cinto de segurança! Acompanhe o nosso post e saiba mais sobre proteção dentro dos veículos.

A história do cinto de segurança

Esse equipamento tão conhecido foi patenteado em 1895, nos Estados Unidos. Apesar disso, seu uso foi implementado somente em 1958, em um modelo Corvette, fabricado pela Chevrolet. O tipo de cinto de segurança que conhecemos e utilizamos hoje, chamado de três pontos, era preso na estrutura do veículo e só chegou para o público em 1959, desenvolvido pelo engenheiro sueco Nils Bohlin. Legal né?

No Brasil

Aqui no Brasil, a obrigatoriedade do uso do equipamento completará 23 anos em setembro. Ela foi instituída pelo artigo 65 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB). Andar sem o cinto de segurança, tanto o motorista quanto o passageiro, resulta em uma infração grave sujeita à multa de R$ 193,23; retenção do veículo até a colocação do cinto e 5 pontos na carteira do motorista, de acordo com o artigo 167 do CTB.

Proteção para crianças

Os cintos de segurança são os equipamentos utilizados para proteção em casos de acidentes para crianças maiores, jovens e adultos. Mas não podemos esquecer que a proteção dos pequenos também é muito importante dentro dos carros. Para isso, é preciso utilizar corretamente o equipamento de acordo com a idade.

Até 1 ano: Para essa idade, a regra é o uso do bebê conforto. E fique atento: a forma correta de instalação é virada para o banco de trás, protegendo ainda mais em caso de choque frontal entre veículos.

1 a 4 anos: Para essa idade, a cadeirinha é o dispositivo adequado. Virada para frente, no mesmo sentido dos passageiros, sempre no banco de trás!

A partir dos 4 anos: Para essa idade, é preciso usar o assento de elevação para a utilização do cinto de segurança do carro. É imprescindível que o dispositivo não fique no pescoço da criança, para que não machuque em caso de impacto.

Continuar lendo

Conheça o calendário de campanhas educativas de trânsito para 2020

Você sabia que, todos os anos, o Conselho Nacional de Trânsito (Contran) divulga um calendário de temas para que sejam desenvolvidas campanhas de educação no trânsito? Por conta da pandemia de COVID-19, as ações deste ano ficaram concentradas entre os meses de agosto e dezembro. Para saber um pouco mais sobre os assuntos de 2020, acompanhe o nosso post!

O cronograma tem como tema principal "Perceba o risco, proteja a vida" e deve ser divulgado pelos órgãos e entidades do Sistema Nacional de Trânsito (SNT). As mensagens poderão ser adaptadas de acordo com as particularidades de cada região. Legal né?

E não para por aí. Até dezembro, cinco campanhas educativas estão previstas com temas super relevantes, como a importância do cinto de segurança e dispositivos de retenção infantil; o respeito no trânsito e os usuários mais vulneráveis; o perigo do período noturno no trânsito; os impactos sociais dos acidentes do trânsito; e os riscos de beber e conduzir. O principal momento do ano será durante a Semana Nacional de Trânsito, de 18 a 25 de setembro.

Quer conhecer os temas? Dá uma olhada:

AGOSTO - Uso de cinto de segurança e dispositivo de retenção infantil. O objetivo das campanhas educativas é ressaltar que o uso destes equipamentos salva vidas.

SETEMBRO - Serão duas abordagens: usuários vulneráveis e respeito no trânsito. A ideia é abordar a vulnerabilidade dos pedestres, ciclistas, motociclistas e pessoas com deficiência, que são os mais expostos ao risco, além de alertar que o uso do capacete pode salvar vidas. As campanhas também deverão abordar a relação de violência e conflitos entre os usuários do trânsito, reforçando seu caráter coletivo e reforçando a importância de cuidar de si e do outro.

OUTUBRO - Com o mote “Ver e ser visto”, a campanha terá como foco os perigos do período noturno no trânsito, onde há maior risco de acidentes envolvendo os usuários vulneráveis pela dificuldade de visibilidade.

NOVEMBRO - Impactos sociais dos acidentes, trazendo o tema do Dia Mundial em Memória às Vítimas do Trânsito (realizado no terceiro domingo de novembro). As campanhas devem levar a uma reflexão sobre como as lesões e sequelas psicológicas e sociais impactam a vida das vítimas e de seus familiares depois do acidente.

DEZEMBRO - Álcool e condução: riscos do uso de substâncias psicoativas lícitas e ilícitas. Em decorrência das festas de fim de ano, as campanhas terão como foco alertar motociclistas e condutores sobre os perigos de pilotar ou dirigir após o consumo dessas substâncias, além da promoção de ações integradas com a fiscalização.

Se você quer ficar por dentro sobre educação e prevenção no trânsito, fique ligado nos próximos posts do blog Viver Seguro no Trânsito!


Continuar lendo

Queimadas e neblina podem ser mortais nas rodovias

Nesta época do ano, regiões secas ou sujeitas a densa neblina colocam em risco quem dirige nas estradas. Basta jogar um cigarro aceso pela janela do carro para causar um incêndio e causar acidentes. Há poucos dias, no Paraná, um engavetamento deixou 8 mortos e mais de 20 feridos. A fumaça decorrente de fogo em local próximo a rodovia prejudicou a visibilidade e pequenos acidentes acabaram se tornando uma grande tragédia quando um caminhoneiro não conseguiu parar e colidiu com um mais veículos, atropelando, inclusive. quem estava no acostamento.

Num país que morrem mais de 40 mil pessoas no trânsito, como atestam dados do Seguro DPVAT, é fundamental aprender com os acidentes. Os motoristas sabem que no caso de pouca visibilidade, é necessário reduzir a velocidade, usar faróis baixos, aumentar a distância do veículo da frente, orientar-se pelas faixas laterais da rodovia enquanto dirige, parar em local seguro quando as condições de visibilidade forem precárias.

Portanto, é fundamental extrair deste acidente todas as lições possíveis. As primeiras informações dizem que o caminhoneiro estava descansado e que não tinha consumido álcool. É preciso investigar e divulgar os resultados, a responsabilidade, consequências e os dramas das famílias envolvidas, para que todos aprendam com esses acidentes.

Quando uma carreta não consegue parar, as consequências são muito graves, por isso, inclusive, o limite de velocidade para esse tipo de veículo é mais baixo. Mas outros condutores envolvidos neste acidente, podem ter cometido o erro, inclusive os passageiros, quando esperam no acostamento.

Depois de tudo apurado, tem que se repercutir ao máximo na mídia como os condutores e passageiros devem se comportar nesse tipo de situação, até mesmo em respeito às vidas perdidas e aos familiares das vítimas, é fundamental aprender com erros e talvez, seja a forma mais dura e eficiente de educar. A morte também nos ensina e morremos mais quando não aprendemos com ela.


Continuar lendo

Página 1 de 1